Autores de violência doméstica concluem participação em grupos reflexivos

Dos 509 que concluíram o curso, apenas dois voltaram à reincidência criminal. “É preciso abandonar as coisas que levam ao caos e buscar caminhos que acenam com novas oportunidades”, afirma o diretor-geral da DGAP, Edson Costa
Fonte: A A A

Autores de violência doméstica concluem participação em grupos reflexivos

Dos 509 que concluíram o curso, apenas dois voltaram à reincidência criminal. “É preciso abandonar as coisas que levam ao caos e buscar caminhos que acenam com novas oportunidades”, afirma o diretor-geral da DGAP, Edson Costa

 

Sessenta seis pessoas pertencentes a 8ª e 9ª turma concluíram, nesta quarta-feira (12/12), participação nos grupos reflexivos organizados pela Central de Alternativa à Prisão (CAP) da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Os concluintes são autores de algum tipo de violência doméstica e familiar que por determinação judicial tiveram que participar do evento.

Durante cinco meses, uma vez por semana, os envolvidos se apresentaram à CAP para reuniões com equipes interdisciplinares formadas por técnicos da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e do Centro de Referência Estadual da Igualdade da Secretaria Cidadã.

A gerente da CAP, Antiara Leal, destacou que o atendimento psicossocial realizado pelos grupos facilitam o processo de ressocialização dos infratores, propiciando reflexões sobre valores éticos e de cidadania. “Esse trabalho de conhecer a realidade de cada beneficiário acaba por favorecer o processo de ressocialização e, por conseguinte, o convívio social do beneficiário”. Ela lembrou que dos 509 participantes do curso, apenas dois voltaram a reincidir no crime.

Segundo o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Edson Costa, é importante que as pessoas que cometem esse tipo de violência, aproveitem a oportunidade ofertada para buscar novos rumos para a sua vida: “É preciso abandonar as coisas que levam ao caos e buscar caminhos que acenam com novas oportunidades”, disse aos concluintes.

Presente ao evento, a titular da Delegacia da Mulher de Aparecida de Goiânia, delegada Ana Paula Machado, fez questão de lembrar que o baixo índice de retorno ao crime por quem participa dos grupos acaba por refletir ‘em nosso trabalho’. “Sabemos que a reincidência dos integrantes dos grupos é quase zero e por isso peço que sejam multiplicadores desse tema”.

Também participaram do evento, o bispo da Igreja Universal Manoel Gonzales, a superintendente de Reintegração Social da DGAP, Flora Ribeiro, a professora da PUC, Vera Morselli, o representante da OAB, Davi Soares, entre outros.

 

Fotos: Jota Eurípedes

Comunicação Setorial da DGAP

Telefone: (62) 3201-4726