Oito presos de Goiás são transferidos para presídio federal em Rondônia

De acordo com serviços de inteligência das forças policiais goianas, presos recambiados lideravam facções e comandavam crimes de dentro da prisão
Fonte: A A A

De acordo com serviços de inteligência das forças policiais goianas, presos recambiados lideravam facções e comandavam crimes de dentro da prisão

 

Foi realizada nesta segunda-feira (17/9) a transferência de oito presos do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia para a Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

As vagas em presídio federal foram solicitadas pela Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e Secretaria de Segurança Pública (SSP) junto ao Ministério da Justiça, que autorizou a transferência diante de dados apresentados pelos serviços de inteligência das forças policiais e também do Ministério Público goiano.

Para o diretor-geral adjunto da DGAP, tenente-coronel Agnaldo Augusto, a expectativa é de que o recambiamento desses presos possa gerar estabilidade dentro do sistema penitenciário goiano”. “As forças policiais estão atentas com possíveis manifestações diante das mudanças. Os presídios estão sendo monitorados em tempo integral”, adiantou.

De acordo com o diretor, o levantamento para a tomada de decisão já estava sendo analisado há cerca de dois meses. “São presos envolvidos em grande parte dos homicídios cometidos na capital e imediações. Tiveram seus históricos de crime minuciosamente analisados e submetidos a avaliação das justiças estadual e federal”, afirmou.

Augusto revelou que os serviços de inteligência policial detectaram que os presos envolvidos na operação são faccionados e exerciam poder de comando dentro de associações criminosas. “Mesmo presos, lideravam outros bandidos. A mudança deles inibirá grandes ações relacionadas a tráficos de drogas, assassinatos e roubos cometidos em todo o Estado”, disse.

Fotos: André Costa

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)