Detentos começam a cuidar de parques da capital

Cinquenta apenados dos regimes aberto e semiaberto começaram, nesta segunda-feira, a trabalhar nos parques de Goiânia. Objetivo é promover reintegração social dos presos. Com o trabalho eles terão pagamento e remição da pena
Fonte: A A A

Cinquenta apenados dos regimes aberto e semiaberto começaram, nesta segunda-feira, a trabalhar nos parques de Goiânia. Objetivo é promover reintegração social dos presos. Com o trabalho eles terão pagamento e remição da pena

 

Presos dos regimes aberto e semiaberto começaram a prestar serviços nos parques e locais públicos de Goiânia. O lançamento oficial do programa Recuperando Pessoas e Parques foi nesta segunda-feira (14/5), no Bosque dos Buritis, com participação de membros da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), Ministério Público e Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) de Goiânia. Nesta primeira etapa do projeto, 50 reeducandos iniciaram as atividades.

O objetivo do projeto é promover a reintegração social dos apenados, disponibilizando a eles a oportunidade de trabalho, buscando a consequente diminuição da reincidência criminal.

O gerente de Produção Agropecuária e Industrial da DGAP, Robson Cavalcante de Sousa, lembra que a implementação do projeto é uma luta de longa data, mas que se tornou realidade com o engajamento de diversos segmentos. “A DGAP já mantém também convênio com a prefeituras de Goianésia, Senador Canedo e Ceres, e a intenção é atingir outros municípios além de empresas do setor privado”, afirmou.

Um dos mentores do projeto, o promotor de Justiça Marcelo Celestino esclarece que o projeto surgiu da necessidade de dar oportunidade de trabalho aos presos, e da obrigação do poder público de ofertar essas vagas de trabalho. “Com a falta de servidores e do abandono das praças públicas foi possível homologar esse convênio”.

 “Os reeducandos terão a oportunidade de contribuir com a prefeitura e serão recompensados com pagamento pelos serviços prestados, além de se beneficiarem com a diminuição da pena”, avaliou o presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente de Goiânia, Gilberto Marques Neto. É que além de receber um salário mínimo mensal, os apenados passam a ter direito da remição de pena, ou seja, para cada três dias trabalhados será descontado um será descontado de sua pena”.

Fotos: Jota Eurípedes

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Telefone: (62) 3201-7588