DGAP participa de campanha para combate à tuberculose no sistema prisional do Brasil

10% das pessoas com tuberculose fazem parte da população carcerária. Governo federal vai investir R$ 27,5 milhões no combate à doença no Brasil
Fonte: A A A

10% das pessoas com tuberculose fazem parte da população carcerária. Governo federal vai investir R$ 27,5 milhões no combate à doença no Brasil

 

O diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Edson Costa, e a gerente Assistência Biopsicossocial da DGAP, Daniella Santos Cruvinel, participaram, nesta quarta-feira (6/6), em Brasília, do lançamento do projeto “Apoio ao desenvolvimento de ações em saúde para a comunidade carcerária com foco na tuberculose”, executado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), em parceria com o Programa Nacional de Controle de Tuberculose (CGNCT) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os objetivos são ampliar e reproduzir campanha de educação em saúde para a comunidade carcerária, com o intuito de dar visibilidade para as questões de tuberculose no sistema prisional, sensibilizar para o diagnóstico precoce e tratamento oportuno e diminuir o preconceito relacionados à doença.

A tuberculose é uma doença contagiosa provocada por uma bactéria, afeta os pulmões e pode levar à morte se não for tratada. Por ser transmitida pelo ar, lugares fechados são os mais propensos ao contágio.Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa a 20ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB e 19º na lista dos 30 países prioritários para TB-HIV.

De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Controle de Tuberculose, Denise Arakaki, cerca de 10% das pessoas com tuberculose cumprem pena nos presídios brasileiros, ao passo que essa população carceráriarepresenta apenas 0,2% da população brasileira. “Isso demonstra a importância da campanha”, explicou.

Nesta quarta-feira, o governo federal anunciou que vai investir R$ 27,5 milhões, nos próximos dois anos, em programas e ações para combater e tratar a tuberculose nos presídios do país.

Quais as prioridades do projeto?

Essa ação tem como prioridade a utilização de estratégias de educação em saúde entre pares, a partir de campanha de comunicação dirigida à comunidade carcerária (familiares, profissionais da saúde e segurança e Pessoas Privadas de Liberdade), com o objetivo de reordenar a rede a rede de atenção à saúde com o objetivo de diagnosticar e tratar precocemente todos os casos suspeitos de TB identificados na comunidade carcerária.

Qual a abrangência da campanha?

A campanha será produzida para toda a comunidade carcerária do país e terá intervenções de educação em saúde e organização da rede de atenção à saúde em 75 unidades prisionais prioritariamente porta de entrada para o sistema prisional, com representação nas 27 unidades federadas do país.

Quando iniciam as atividades do projeto?

 A partir de um diagnóstico situacional das ações de tuberculose implementadas intramuros, o plano de execução e pactuação do projeto está sendo finalizado para a execução nos territórios. Posteriormente ao lançamento da campanha, oficinas regionais serão realizadas com os municípios elencados e a rede de atenção para pactuação e organização dos fluxos de trabalho.

Fotos: Divulgação

Comunicação Setorial DGAP com Serviço de Comunicação Social do Depen
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Telefone: (62) 3201-7588