DGAP promove curso de serralheria para presos em Aparecida de Goiânia

Curso ministrado pelo Senai vai qualificar, nesta etapa, 15 presos que após treinamento serão contratados para trabalhar na indústria do complexo prisional Reeducandos que cumprem pena na Penitenciária Odenir Guimarães, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia participaram, nesta segunda-
Fonte: A A A

Foto1

Curso ministrado pelo Senai vai qualificar, nesta etapa, 15 presos que após treinamento serão contratados para trabalhar na indústria do complexo prisional

Reeducandos que cumprem pena na Penitenciária Odenir Guimarães, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia participaram, nesta segunda-feira (12/3), da aula inaugural do Curso de Serralheria ministrada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Nesta etapa, foram selecionados 15 detentos que vão participar durante 20 dias do curso com carga horária de 160 horas. Alguns dos alunos já trabalham na indústria do complexo prisional e agora terão a oportunidade de se capacitarem.

Para o superintendente de Reintegração Social e Cidadania da DGAP, Willian Paulo, essa é uma oportunidade única aos detentos.  Durante a aula inaugural, ele desejou que os alunos “aproveitem a oportunidade de ter um curso do Senai, uma instituição tão bem reconhecida”.

A qualificação é fruto de convênio entre a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça (Depen/MJ), por meio do Programa de Capacitação Profissional de Implementação de Oficinas Permanentes (Procap), e tem o objetivo de qualificar a mão de obra carcerária.

Segundo o gerente de Produção Agroindustrial e Pecuária da DGAP, Robson Cavalcante, educação e empregabilidade são duas importantes ferramentas para a reintegração. “É quase impossível uma pessoa ser colocada no mercado de trabalho sem qualificação profissional”, disse. “Um certificado de uma entidade como o Senai abre muitas portas”, completou.

Além da parte prática, há a preocupação de falar sobre segurança no trabalho, educação ambiental e dar orientações sobre como se portar no mercado de trabalho. As modalidades ministradas possibilitam também o empreendedorismo. De acordo com Cavalcante, os principais critérios para frequentar os cursos são bom comportamento e vontade por parte do candidato.

Ao finalizar o curso todos os alunos vão trabalhar na indústria do Complexo Prisional de Aparecida na fabricação de celas, grades, barras de ferro, entre outros produtos usados nas unidades prisionais de todo o estado. Em Itumbiara, na região Sudeste do estado, os detentos iniciam nesta semana o curso de artefato de cimento, também ministrado pelo Senai. A instituição foi responsável pelo curso de corte e costura industrial oferecido aos detentos no final do ano de 2017.

Parceria

A Diretoria-Geral de Administração Superintendência Executiva de Administração Penitenciária contratou o Senai, por meio de dispensa de licitação, para ministrar cursos de formação para sentenciados em cumprimento de pena. Ao todo serão capacitadas 130 pessoas em Corte e Costura, Serralheria, Pedreiro e Fabricação de Artefatos de Cimento nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Orizona, Itumbiara, Luziânia e Ceres. Para estas capacitações foram investidos R$ 250 mil, oriundo de convênio firmado com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A DGAP investiu, ainda, na compra de equipamentos novos para ministrar os cursos.

Os cursos de qualificação realizados na casa de detenção têm o intuito de levar o ensino profissionalizante da instituição, inclusive com certificação, para aqueles que não possuem condições de frequentar as aulas nas escolas do Senai. Têm carga horária de 160 ou 220 horas, dependendo da modalidade.

Foto3 Foto2

 

Fotos: Divulgação

Comunicação Setorial

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás- DGAP
(62) 3201-7588