DGAP promove evento em presídios femininos em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Durante cinco dias, durante Semana da Mulher Privada de Liberdade, presas vão contar com palestras, cursos, atividades de interação e realização de exames médicos. Encerramento, na sexta-feira (5/3), será com 2º Desfile Miss Liberdade Em solenidade prestigiada por autoridades dos diversos [
Fonte: A A A

Foto1

Durante cinco dias, durante Semana da Mulher Privada de Liberdade, presas vão contar com palestras, cursos, atividades de interação e realização de exames médicos. Encerramento, na sexta-feira (5/3), será com 2º Desfile Miss Liberdade

Em solenidade prestigiada por autoridades dos diversos poderes, foi dado início, nesta segunda-feira (5/3), às atividades da Semana da Mulher Privada de Liberdade, um evento com extensa programação realizado na Penitenciária Feminina Consuelo Nasser e na Ala Feminina da Casa de Prisão Provisória, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, e também na Ala Feminina da Penitenciária de Luziânia.

A iniciativa da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), por meio da Gerência da Central de Alternativa à Prisão (CAP), foi idealizado com o objetivo de oferecer para as mulheres apenadas atividades como cursos profissionalizantes, palestras e atendimento de saúde. As ações são em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 08 de março.

Para o diretor-geral adjunto da DGAP, tenente-coronel Agnaldo Augusto da Cruz, a o evento vai ao encontro das novas diretrizes da administração penitenciária, que é dar novas oportunidades aos reeducandos por meio de cursos e empregos. “Elas (as presas) têm vários benefícios, entre eles a qualificação profissional e, principalmente, a inserção nas discussões que são travadas em relação a mulher em toda a sociedade”, pontuou.

O diretor também ressaltou a importância das parcerias para a melhoria do sistema. “Que todos nós tenhamos nesta semana uma oportunidade de reflexão, e que tudo o que construímos seja edificado de forma firme para não haver descontinuidade”, acrescentou ao agradecer aos parceiros pela colaboração.

Augusto ainda acrescentou que o apoio dos parceiros tem sido fundamental para a melhoria do sistema. “Se todos nós contribuirmos, a melhoria será para toda a sociedade. Os desafios do sistema são enormes, as soluções não são fáceis, mas elas precisam ser perseguidas o tempo todo”, enfatizou.

Para a coordenadora do Centro de Apoio dos Direitos Humanos do Ministério Público, promotora Patricia Otoni, as ações apresentadas “visam a melhoria do sistema”. Ela acrescentou que trata-se também de uma ferramenta de reintegração social, além de oportunidade para esclarecer às mulheres sobre os seus direitos.

Uma das reeducandas presentes, condenada há 12 anos de prisão e beneficiada com o curso de biojoias, acredita que ter um emprego é a oportunidade de sair do presídio com uma opção de mudança de vida. “Ocupa a nossa mente e a nossa sentença acaba ficando mais razoável”, afirma.

Durante cinco dias, as presas terão palestras sobre o combate à violência doméstica e familiar,  saúde da mulher, direitos das mulheres e prevenção; além de cursos, atividades de interação e realização de exames. O 2º Desfile Miss Liberdade, na próxima sexta-feira, na Penitenciária Feminina Consuelo Nasser, encerra as atividades em comemoração à data.

Participaram também da solenidade a juíza da Vara de Execuções Penais, Telma Aparecida Alves, o promotor Marcelo Celestino, além de representantes das secretarias Estadual e Municipal de Saúde e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Foto3 Foto4 Foto2

 

Fotos: Rodrigo Cabral

 

Comunicação Setorial

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)

(62) 3201-7588