“Sejamos defensores dos direitos humanos, mas que não nos tornemos reféns dessas organizações criminosas”, disse Edson Costa em palestra sobre desafios da Execução Penal

Iniciativa do Tribunal de Justiça de Goiás reuniu magistrados goianos e profissionais da área de inteligência visando aprimoramento na área de Execução Penal
Fonte: A A A

Iniciativa do Tribunal de Justiça de Goiás reuniu magistrados goianos e profissionais da área de inteligência visando aprimoramento na área de Execução Penal

 

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) promoveu nesta sexta-feira (08/06), o curso Desafios da Execução Penal no Estado de Goiás destinado aos magistrados e profissionais da área penitenciária. As atividades ocorreram no Fórum Cível de Goiânia e contou com a presença de juízes, promotores e servidores da área de execução penal.

O diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Edson Costa, ministrou a palestra Gestão de Vagas pela DGAP, voltada para orientações sobre as atribuições da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP).

Para Edson, a iniciativa é primordial para que os operadores da execução penal possam ter a exata dimensão dos problemas da área. “Vejo no Brasil algumas pessoas ainda sindromizadas com o criminoso, ainda com uma visão muitas vezes romântica, sobre a postura do crime”, disse. O diretor esclareceu que os criminosos faccionados tem comportamento profissional e utilizam a grande massa carcerária a seu favor. “Isso tem que ficar bem colocado para nós para que não fiquemos reféns dessa condição”, ressaltou.

“Que sejamos defensores dos direitos humanos e que nos pautemos pelo exercício de nossas ações, com respeito à dignidade humana, mas que não nos tornemos reféns e submissos, às vezes inconscientemente, dessas organizações criminosas”, declarou. Ele discorreu, ainda, sobre as iniciativas tomadas pela pasta para mitigar os problemas no sistema carcerário goiano e pontuou as ações previstas no estado para o combate às facções.

O diretor da DGAP falou sobre a atual situação do país diante dos ataques nos estados de Minas Gerais e Rio Grande do Norte, que podem estar ligados com facções criminosas. “Nós temos uma luta, um problema a ser vencido e precisamos vencer”, disse, reforçando que é preciso integrar os poderes para enfrentar esse problema. “É preciso que a gente desperte e tomemos medidas urgentes para que possamos contornar essa situação, de forma conjunta e integrada”, explicou.

A juíza auxiliar da Corregedoria do TJGO, Sirlei Martins da Costa, explicou que o programa foi montado a partir de demandas recebidas dos profissionais da execução penal preocupados com os presos faccionados nas unidades prisionais de Goiás. A principal finalidade do curso é proporcionar a magistrados melhores condições para o enfrentamento de problemas atuais por meio do debate, reflexão e construção de práticas interinstitucionais.

Fotos: Marco Monteiro

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62) 3201-7588